fbpx

TUDO SOBRE VITAMINA C

Vitamina C é um dos melhores aliados da saúde por inibir o envelhecimento, ser fundamental para o funcionamento de várias enzimas, contribuir para formação de colágeno, além de ser utilizada pelas nossas células para gerar energia. Mas não para por aí, ela também converte colesterol para uso digestivo, reduz a incidência de doenças crônicas e é um poderoso antioxidante varrendo os radicais livres que causam danos às nossas células e o envelhecimento precoce de pele e outros tecidos. Evidências sugerem ainda que ela pode reduzir o risco de câncer por aumentar a imunocompetência (capacidade do corpo de se defender) e bloquear o processo carcinogênico com suas propriedades antioxidantes.

Sintomas de falta de vitamina C são indisposição, dificuldade de cicatrização e sangramento gengival, sendo estes dois últimos causados pela deficiência na formação de colágeno. A carência desta vitamina também está relacionada à anemia por deficiência de ferro e de folato.
Pessoas com distúrbios gastrointestinais e fumantes estão mais suscetíveis a sua deficiência. Grupos como gestantes, lactantes tem sua necessidade de vitamina C aumentada assim como em doenças inflamatórias crônicas, após cirurgias, episódios de diarréia e vômitos. Resfriados também levam a maior perda de vitamina C justificando seu uso não apenas para evitar doenças infecciosas como também para repor seus níveis durante a doença.
Hoje no mercado existem opções de alta concentração como as de 1000mg, seguras para consumo sem risco de toxicidade e com maior  biodisponibilidade nas versões de liberação gradual (time release).

Consulte a nossa sessão clicando no link Vitaminas para conhecer essas e outras opções para sua saúde.

Tamara Borges

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. ashor, A.W. et al. Antioxidant vitamin supplementation reduces arterial stiffness
in adults: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. J.
Nutr., v. 144, p. 1594-1602, 2014.
2. basu, T. K.; dickerson, J. W. T. Vitamins in human health and disease. [S.l.]: CAB
International Press, 1996. p. 125-47.
3. bender, D. A.; bender, A. E. Nutrition, a reference handbook. Nova York: Oxford
University Press, 1997. p. 416-9.
4. bjelakovic, G.; nikolova, D.; simonetti, R.G. et al. Antioxidant supplements
for prevention of gastrointestinal cancers: a systematic review and meta-analysis.
Lancet. v. 364, p. 1219-1228, 2004.
5. brody, T. Ascorbic acid. In: Nutritional Biochemistry. San Diego: Academic Press,
1994. p.450-9.
6. burton, G. W. et al. Biokinetics of dietary RRR- a tocopherol in the male guinea
pig at three dietary levels of vitamin C and two levels of vitamin E: evidence that
vitamin C does not spare vitamin E in vivo. Lipids, v. 25, p. 199-210, 1990.
7. food and nutrition board, institute of medicine. Dietary Reference Intakes
for Vitamin C, Vitamin E, Selenium, and Carotenoids. Washington, DC: National
Academy Press, 2000.
8. gaziano J.M. et al. Vitamins E and C in the prevention of prostate and total cancer
in men: the Physicians’ Health Study II randomized controlled trial. Jama. v. 301,
p. 52-62, 2009.
9. harris, H.R.; orsini, N.; wolk, A. Vitamin C and survival among women with
breast cancer: a meta-analysis. Eur. J. Cancer. v. 50, p. 1223-1231, 2014.
10. hathcock, J. N. Vitamin and mineral safety: a summary review. Washington, D.C.:
Council for Responsible Nutrition, 1997.
11. hemila, H.; chalker, E. Vitamin C for preventing and treating the common cold.
Cochrane Database Syst Rev. 2013;1:CD000980.
12. hornig, D. et al. Absorption of large, single, oral intakes of ascorbic acid. Inter. Vitam.
Nutr. Res., v. 50, p. 309-14, 1980. In: basu, T. K.; dickerson, J. W. T. Vitamins in human
health and disease. [S.l.]: CAB International Press, 1996, p. 125-47.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Outros posts